quinta-feira, 15 de abril de 2021

Cravos na Biblioteca!

Em preparação para a mostra de trabalhos sobre o 25 de abril...

Entrega de prémios dos vencedores da fase intermunicipal do CNL

Decorreu na Biblioteca da escola sede a entrega de prémios aos vencedores da fase intermunicipal do CNL.Aos nossos leitores votos de que continuem a gpstar de ler! Parabéns a todos!

quarta-feira, 17 de março de 2021

…porque ler vale a pena, mesmo que pouco, um pouco hoje, um pouco amanhã, até se ganhar o delicioso gosto da leitura!

"... gostar de ler implica esforço, implica atenção, implica concentração. E implica, sobretudo, acreditar que, pela leitura, nós chegamos a mundos que jamais conheceríamos. Chegamos lá, não só por aquilo que é expressamente descrito, mas, sobretudo, por aquilo que é sugerido e que a nossa imaginação há de completar. (...) "Mensagem do Professor Doutor Carlos Reis (Professor catedrático jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra) dedicada à Semana da Leitura da Escola Profissional da Guarda. A propósito de os alunos do 2º ciclo terem lido a obra “ Mariana e as Bandoletes Mágicas”, escolhida pela Biblioteca para 1ª fase do Concurso Nacional de Leitura, a Diretora das Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro fez as diligências possíveis para proporcionar uma conversa online entre a escritora Marla Pinheiro e a ilustradora Maria Raposo e algumas turmas do 2º ciclo. O encontro decorreu na plataforma zoom, no dia 9 de março. Marla Pinheiro nasceu na ilha do Faial, Açores e formou-se em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa. Começou a sua vida profissional como jornalista, num semanário faialense, a Tribuna das Ilhas e atualmente é diretora comercial de uma companhia marítima. Na faculdade, nos primeiros dias, tornou-se amiga de Maria Raposo e, quando pensou numa ilustradora para o livro imediatamente pensou na colega de curso. Selecionaram dez episódios e entre rabiscos e montes de emails trocados entre ambas, depois de experimentar tintas e aguarelas, Maria optou pelo desenho em computador. Comunicadora por excelência, a escritora deu a conhecer como nasceu o seu primeiro livro: o livro nasceu para a Mariana, sua sobrinha (que é da idade dos nossos alunos) aprender a gostar de ler, pois entrara com 5 anos para o 1º ciclo e não manifestava muito interesse pela leitura. Assim, pensou em criar uma história em que a Mariana fosse a protagonista. Como gostava de bandoletes, foi fácil e divertido imaginar histórias: à primeira vista, a Mariana é uma menina como todas as outras. Tirando da sua mala qualquer uma das suas bandoletes mágicas, que lhe dão poderes especiais, vive fantásticas aventuras!
A Mariana é uma menina como tantas outras, vai à escola, brinca com os amigos e aprende coisas novas…
Dos nossos alunos: Olá a todos. Sou o Guilherme Farropas, da turma 6ºB, venho mencionar que que adorei a sessão com a escritora e ilustradora do livro “Mariana e as bandoletas mágicas”, tal como adorei representar a minha turma com a saudação e boas-vindas. Acrescento também que desde os meus 6 anos adoro desenhar e baseio-me nas ilustrações de livros e também nas pesquisas que faço O meu tipo de desenho favorito e representar personagens de séries e filmes que já visualizei numa folha branca ou em quadros e deixar a minha imaginação tomar conta do resto!
A Lara Fernandinho, do 6B, apresentou uma aplicação em powerpoint
O Afonso Sousa, do 6B, escreveu-nos:
Hoje é terça-feira, nove de março. Vamos ter uma manhã diferente, pois mesmo em casa vamos conhecer a escritora Marla Pinheiro e a ilustradora Maria Raposo. Chegou a hora da sessão. Já tínhamos tudo preparado, começou a conversa. No desenrolar da conversa ficamos a saber o porquê do nome e em quem se inspirou para escrever o livro. A inspiração veio da sua prima. Também ficamos a saber que a escritora e a ilustradora são amigas. A escritora Marla acabou por confessar que gosta da personagem Harry Potter, achei o máximo. A manhã foi incrível, a sessão foi muito gira. É maravilhoso estar em casa e conhecer outras pessoas e tudo isto devemos há internet. Gostei mesmo da conversa desta manhã. Da Beatriz Brito, do 6B: Na passada terça-feira, dia 9 de março, alunos das turmas 5ºA, 5ºB e 6ºB estiveram numa reunião pela plataforma zoom com a autora Marla Pinheiro e a ilustradora Maria Raposo do livro “Mariana e as Bandoletes Mágicas”. A reunião teve início pelas 11:15 com a apresentação das turmas e um texto de Boas Vindas lido pelos alunos. Durante a sessão os alunos mostram-se interessados e fizeram várias questões. No final os alunos despediram-se da escritora e ilustradora. A Mariana Martins, do 6B, também registou: Foi me pedido um pequeno texto onde expressasse a minha opinião sobre a conversa que a minha turma 6º B em conjunto com outras turmas tiveram com a escritora Marla e a ilustradora Maria, do livro Mariana e as Bandoletes Mágicas. Gostei, pois foram colocadas questões e dúvidas às quais elas responderam sempre com amabilidade. Deu para perceber que quando pensaram neste livro e o escreveram e ilustraram sabiam o que estavam a fazer. As suas respostas foram curtas e claras e eu percebi a mensagem e a dinâmica que houve naquela conversa. Quero agradecer por ter sio possível realizar esta atividade e propor a realização de outras deste género ou de outra que seja interessante.
A Rita Passarinho, do 5A, deixou esta mensagem: Socorro! Praticamente, toda a minha turma sabe que eu quero ser jornalista quando for grande. Só que ninguém se apercebe de nada, do que eu gosto. Aliás, ninguém percebe este amor. Muitas pessoas pensam que ainda falta muito tempo e que vão ter muito, muito tempo para decidir. Não acredites, é uma mentira. Começa a pensar agora, antes que seja tarde demais. Eu, quero ser jornalista, e só com 10 anos ando a escrever para o jornal da escola. Se calhar é porque quero por querer, ou se calhar é porque eu quero mesmo. Não sei. É uma coisa que eu nunca senti, nunca tive tanto entusiasmo por isto. Nunca te aconteceu, estares super entusiasmado por uma coisa, e do nada queres fazer tudo para a alcançar? É isso, está a acontecer. O que farias? Preciso de ajuda. Estou louca pela escrita, e o meu primeiro texto dediquei-o. Tu achas que devo continuar? Se calhar é o meu destino. Se calhar não. Ajudem-me! Não consigo controlar esta paixão! Eu e a escrita somos inseparáveis! Como é possível? Não sei. Se calhar devia ser cantora, ou dançarina, ou bombeira, ou polícia, ou atriz... Alguma coisa que não goste? Alguma coisa que goste? E agora, e agora...Preciso de ajuda! Será que sigo o que gosto? O que farias? Ajudem-me! Socorro! Quando era pequenina, queria ser cabeleireira, depois cresci, quis ser veterinária, e agora jornalista e escritora. Espera, eu antes queria ser jornalista certo? E agora quero ser escritora? Que mal fiz eu a Deus para receber esta paixão pelas letras?! Adoro tocar piano, é outra grande paixão. Que faço da minha vida? Os meus amigos dizem que quando estamos a brincar aos professores online, daria uma ótima professora. E, agora imagina, quereres ser jornalista, ires a uma videoconferência com uma escritora e, seres a primeira a colocar perguntas à escritora, e depois, a tua professora de HGP te dizer que estiveste muito bem. Por isso, eu só tenho uma coisa a dizer... Socorro! Dedicado à Professora Dores Pinto, por me incentivar a escrever este texto.
Diz-nos a professora Martínia Gordino, autora do lindo cartaz do evento: Não queria deixar passar este dia sem vos agradecer pelo momento (Feliz) desta manhã! Gosto de livros. Gosto do objeto/ livro. Gosto de histórias. Gosto de ilustração (admiro, mesmo!). Conto várias vezes este episódio, na faculdade (de arquitectura), na aula de História da Arte, o colega que se sentava ao meu lado passava, tal como eu, 2h a tirar apontamentos. Eu escrevia, escrevia, escrevia. Ele desenhava, desenhava, desenhava. Incrivelmente, os apontamentos dele tinham tudo o que tinham os meus apontamentos. Aliás, tinham até mais! Os apontamentos do Pedro cabiam numa prancha de BD!... :) Gosto de conversas sobre livros. E gostei muito de conhecer, hoje, a Marla e a Maria! Parabéns! Que venham mais "Marianas"! :) Ah, a minha irmã anda a ler o vosso livro à Maria (a minha sobrinha que adora bandoletes) e quando, ontem à noite, lhe disse que hoje ía estar online convosco, a Maria não resistiu a pedir-me que vos dissesse o seguinte (palavras da Maria Leonor): "Tia, podes dizer que a filha da tua irmã (foi mesmo assim que me disse!) gosta muito da parte em que a princesa se transforma em sereia?". Não tive tempo de vos dizer isto online... Mas aqui fica!... :)
E, da nossa escritora chegou via email: Não tenho palavras para descrever como foi gratificante esta oportunidade de falar do livro, principalmente "a meias" com a Maria. Adorei a sessão e os vossos alunos. É impossível não ficar impressionada com o vosso empenho nesta empreitada de juntar toda a gente "digitalmente", e nem consigo imaginar as dificuldades que devem sentir no dia a dia para proporcionar uma educação o mais normal possível aos alunos. Irem mais longe com este tipo de eventos é absolutamente louvável. Espero sinceramente que os professores que, como vós, "dão luta" a esta pandemia tenham o reconhecimento que merecem. Um grande beijinho a todas! Marla Pinheiro
Que venham mais!

segunda-feira, 8 de março de 2021

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Colagem Improvisada

Esta semana, lançamos-te aqui um novo desafio intitulado: Colagem improvisada. Para melhor enquadrar este desafio, falamos-te de Hanoch Piven. Hanoch Piven é um ilustrador israelita muito conhecido pelos retratos que faz, usando objetos e brinquedos do quotidiano. Para perceberes um pouco melhor o seu trabalho, visualiza os seguintes vídeos: https://www.youtube.com/watch?v=lSD390Rv3R8 ; https://www.youtube.com/watch?v=l8fEyNmsmEY . Agora, sobre o desafio: se quiseres/ puderes, ou seja, se tiveres tempo livre, podes fazer este desafio, em tua casa, com os teus familiares. 1º - Pede aos teus familiares para te prepararem uma caixa com objetos simples para, com eles, fazeres o teu desafio criativo. 2º - Depois, basta fotografares o teu trabalho e enviares para o e-mail do Jornal do Agrupamento (jornaldigitaljsr@gmail.com), para que todos possamos ver! Combinado? Os melhores trabalhos serão publicados no próximo jornal "Entrepalavras". Quem se atreve?!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

 O Carnaval no Agrupamento este ano foi diferente, mas divertido.


A organização agradece a colaboração de todos os que estiveram envolvidos.

Não perca a próxima edição do Jornal Entrepalavras, onde poderá saber mais pormenores.


Segue em anexo uma ligação para verem o o vídeo montado pelo professor Nuno Ramalho, tal como as instruções para o descarregarem.

link https://drive.google.com/file/d/1Qn85mleNrZ19S_dZqvDi5_TgEdhBiyhR/view?usp=sharing

Também podes descarregar o vídeo através do botão transferir no canto superior esquerdo.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

Jornal Entrepalavras 1º trimestre 2020/2021

O jornal do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro encontra-se aqui:

 https://issuu.com/jornaldigitaljsr/docs/jornal_janeiro_2021




No silêncio de Auschwitz


No silêncio de Auschwitz


Entre maio de 1940 e janeiro de 1945 morreram no campo de concentração de Auschwitz mais de um milhão de pessoas, a maioria judeus, transformando aquele complexo numa das principais fábricas da morte do nazismo. Hoje é um local de visitas e reflexão...

Roupa. Malas. Sapatos. Óculos. São milhares de peças que se acumulam pelas salas de Auschwitz, testemunhando com o seu silêncio o destino de um milhão e trezentas mil pessoas que ali foram mortas pela ideologia nazi.

Entre as pilhas de objetos há ainda várias toneladas de cabelo, cortadas da cabeça de mulheres que entraram no campo completam um quadro de terror numa escala industrial nunca vista até então.

Ainda hoje os visitantes não conseguem ficar indiferentes. Para além de milhares de visitantes que ali se deslocam de forma individual, acompanhados de familiares ou amigos, há também muitas escolas que levam turmas inteiras ao campo para que estes conheçam “in loco” a temática do holocausto estudada nas aulas.

Evocação do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto - 27 de janeiro

 Trabalho feito pela professora Maria José Faria, enviado à professora bibliotecária para relembrar!

O dia 27 de janeiro comemora-se como o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, data que coincide com o 76.º aniversário da libertação do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, em 1945.

 

Holocausto, também conhecido como Shoá, foi o genocídio ou assassinato em massa de cerca de seis milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial, no maior genocídio do século XX,

através de um programa sistemático de extermínio étnico patrocinado pelo Estado nazi, liderado por Adolf Hitler e pelo Partido Nazi e que ocorreu em todo o Terceiro Reich e nos territórios ocupados pelos alemães durante a 2ª Guerra Mundial. Dos nove milhões de judeus que residiam na Europa antes do Holocausto, cerca de dois terços foram mortos; mais de um milhão de crianças, dois milhões de mulheres e três milhões de homens judeus morreram durante esse período.

 

O genocídio nazi contra os judeus foi parte de um conjunto mais amplo de atos de opressão e de assassinatos em massa agregados cometidos pelo governo nazi contra vários grupos étnicos, políticos e sociais na Europa. Entre as principais vítimas não judias do genocídio estão ciganos, poloneses, comunistas, homossexuais, prisioneiros de guerra soviéticos, Testemunhas de Jeová e deficientes físicos e mentais.

Alguns Memoriais do Holocausto

Memorial em Berlim, Alemanha


Memorial de Estrasburgo, França            


                                                                          Memorial do Rio de Janeiro, Brasil



Memorial “Sapatos do Danúbio”, Budapeste, Hungria


Memorial  Grécia


Memorial  em Minsk, Bielorrússia


"Que este lugar seja sempre um pranto de desespero e um aviso à humanidade”



A lembrança anual de um dos episódios mais cruéis da história da humanidade é motivada pela necessidade de se aprender com os erros do passado e manter viva a luta contra o racismo e preconceitos.


Sugestão de livros para refletir sobre o Holocausto


Biografia, em banda desenhada, do cônsul português que salvou muitos judeus, desobedecendo às ordens de Salazar.

Aristides de Sousa Mendes - Herói do Holocausto, de José Ruy, Âncora Editora 


diariamente as ruas da cidade. Com apenas 18 anos, ela consegue arranjar os bens raros que as pessoas procuram no mercado negro: chocolate, café, tecidos… Pequenos pedaços de normalidade, preciosos em tempos de conflito. E Hanneke fá-lo apenas por dinheiro! Não há espaço para bondade num mundo devastado por uma guerra que lhe roubou a vida e os sonhos. Até ao dia em que uma das clientes de Hanneke lhe faz um pedido tão perigoso quanto desafiante...

 

A rapariga do casaco azul, de Monica Hesse, Editora TopSeller


A Segunda Guerra mundial está em curso. Os tempos são difíceis na Polónia, especialmente para os judeus e Alex é um deles. A mãe desapareceu e o pai foi selecionado pelo exército alemão para ir para um destino desconhecido. Só, Alex é obrigado a refugiar-se num refúgio abandonado da rua dos Pássaros. Aqui deseja aguentar o inverno e esperar o prometido regresso do pai. Coragem e valentia em tempo de guerra não são execionais, mas Alex só tem onze anos e a sua história é, na verdade sobre o desejo de alguém vencer a crueldade e a injustiça.

A ilha na rua dos pássaros, de Uri Orlev, Ed. Asa


«Toda a gente merece ter alguma coisa boa na vida, pelo menos umavez.»
A vida de Felix Salinger não é nada fácil. Ele é judeu e vive num orfanato na Polónia dos anos 40, em plena Segunda Guerra Mundial. Felix gosta de ler, escrever e contar histórias. Até que um dia, decide fugir para procurar os pais.
A determinação, inteligência e imaginação de Felix vão ajudá-lo a lidar com situações muito difíceis, no meio de nazis e cidadãos apavorados, e a encontrar pessoas maravilhosas, como a pequena Zelda e o velho Barney. Contada na primeira pessoa, por uma criança cheia de sonhos e muito inocente, esta emocionante história aborda a infância, a solidariedade, a amizade, a coragem e a esperança no meio do drama da guerra.

Um dia, de Morris Gleitzman, Editora Fábula


A luta pela sobrevivência contada por um menino judeu na França ocupada pelos nazis. Uma história verídica. 1941, Paris é uma cidade ocupada pelos exércitos nazis. o poder de Hitler controla a França; as perseguições e o medo pairam por todo o país. Joffo, um respeitado barbeiro judeu, decide dispersar a sua família de forma a evitar o destino cruel que os espera a todos. 

Depois da fuga dos filhos mais velhos, perante o perigo sempre à espreita, Joseph, de apenas dez anos, e Maurice, de doze, deixam também a capital, entregues a si próprios, para tentarem escapar à brutalidade e à morte. Uma impressionante história autobiográfica, narrada pelo irmão mais novo, cuja espontaneidade, ternura e humor comprovam o triunfo da amizade, da generosidade, do espírito de entreajuda.

Os meninos que enganavam os nazis, de Joseph Joffo, Editorial Presença


OUTRAS SUGESTÕES--- e boas leituras 







segunda-feira, 6 de julho de 2020

Padlet no 5º ano...A fada Oriana e o vírus



Trabalho interdisicplinar, criado no  3º período, do 5º ano.
Devido à pandemia houve necessidade de fazer ligeiras alterações nos trabalhos interdisciplinares. Assim, os alunos foram convidados  a redigir textos imaginando uma viagem no tempo até ao século XIV, o século da Peste Negra, na companhia de personagens do livro animais "A fada Oriana", a construir símbolos visuais e muito mais.






Por último...  palavras de uma das diretoras de turma:

Despedida
Quero dizer-vos, a todos: Muito obrigada!
Obrigada pelo vosso tempo, pela vossa disponibilidade, pela vossa boa vontade, pela vossa colaboração, pelo vosso empenho.
Sem este espírito de entreajuda não teríamos conseguido. Trabalhámos em equipa. Às vezes entendemo-nos e, por vezes, desentendemo-nos. Faz parte deste crescimento. Todos nós crescemos. Nós professores, vós alunos e, claro, os pais, parceiros fundamentais neste caminho que é educar. 
Obrigada. Para o ano cá estaremos. Seja como for.
JUNTOS VAMOS CONSEGUIR porque VAI FICAR TUDO BEM!

Raquel Robalo

Jornal Entrepalavras 3º período



Eis a última edição do jornal escolar "Entrepalavras" , relativo ao 3º período, sob a coordenação da professora bibliotecária Carla Ribeiro que agradece a contribuição dada e parabeniza  os trabalho que fizeram chegar à redação.




Sabores da Índia




Sabores da Índia


Livro de receitas "Sabores da Índia", desenvolvido no âmbito do projeto “Todos Juntos podemos ler”, dinamizado pela equipa da biblioteca escolar com a coordenação da professora Carla Ribeiro. Bom apetite!






segunda-feira, 1 de junho de 2020

Sugestões para o dia da Criança!



Sugestões do Plano Nacional de Leitura para esta festa: jogos e leituras, música e brincadeiras, atividades em casa e passeios, experiências e descobertas... 👦 📘 💚 🎲 🎈 🧩

Vê lá se conheces estes livros: http://www.pnl2027.gov.pt/np4/livrospnl_diadacrianca2020.html... 😉




Feliz Dia da Criança! Aqui ficam as sugestões do PNL2027.



Dia Mundial da Criança


Livros e quizzes... Olha só quem está no Instagram do PNL! Participa. 😊
1 d Público
Acabámos de publicar o nosso Livros e Quizzes desta semana sobre Alice Vieira. Stories do Instagram @pnl2027


[slideshare id=62363107&doc=newsletterinauguraodarequalificaodabe-160524221313&type=d]